Horário de Funcionamento:

Seg - Sex: 07h00 - 17h00

A Receita Federal já divulgou as regras para a declaração do Imposto de Renda (IR) 2021.

A primeira coisa que você precisa ficar atento é que as declarações podem ser enviadas a partir do dia 1º de março e vão até o dia 30 de abril.

No entanto, muitas pessoas ainda têm dúvidas se devem ou não declarar. A seguir, confira quais são os documentos necessários para fazer a Declaração de Imposto em 2021.

 

Veja também: Descubra agora quais são os principais direitos do trabalhador

 

Documentos necessários para fazer a Declaração do Imposto de Renda em 2021

 

Renda

  • Informes de rendimentos de instituições financeiras, inclusive corretora de valores;
  • Informes de rendimentos de salários, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão etc.;
  • Informes de rendimentos de aluguéis de bens móveis e imóveis recebidos de pessoas jurídicas;
  • Informações e documentos de outras rendas recebidas no ano, como pensão alimentícia, doações e herança;
  • Resumo mensal do livro caixa com memória de cálculo do carnê-leão; DARFs de carnê-leão.

 

Bens e direitos

  • Documentos que comprovem a compra e a venda de bens e direitos;
  • Cópia da matrícula do imóvel e/ou escritura de compra e venda;
  • Boleto do IPTU de 2020;
  • Contratos sociais de empresas em o contribuinte seja sócio.

 

Dívidas e ônus

  • Informações e documentos de dívida e ônus contraídos e/ou pagos no período.

 

Informações gerais

  • Dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja;
  • Nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes, data de nascimento e endereço atualizado;
  • Cópia da última declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue;

 

Pagamentos e doações efetuados

  • Recibos de pagamentos ou informe de rendimento de plano ou seguro saúde (com CNPJ da empresa emissora e a indicação do paciente);
  • Despesas médicas e odontológicas em geral (com CNPJ da empresa emissora ou CPF do profissional, com indicação do paciente);
  • Comprovantes de despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora com a indicação do aluno);
  • Recibos de doações efetuadas;
  • Comprovante de pagamento de pensão alimentícia em decorrência de decisão judicial por alimentando.

 

*Com informações de G1